As buscas para encontrar um canoísta, desaparecido no domingo no rio Âncora, em Viana do Castelo, foram esta segunda-feira retomadas ao início da manhã, de acordo com fonte da Proteção Civil, mas as correntes fortes estão a dificultar a operação.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, o caudal do rio Âncora ¿está muito elevado devido à forte precipitação que tem caído¿ nos últimos dias, pelo que as «correntes fortes estão a prejudicar as operações».

As operações de busca, na zona do Freixeiro de Soutelo, envolvem 33 elementos dos bombeiros municipais de Viana do Castelo, dos voluntários de Vila Praia de Âncora, da GNR e da Polícia Marítima.

De acordo com a mesma fonte, as buscas estão a ser feitas no local onde se deu o acidente junto ao denominado "Portinho dos Bois", na zona da serra d'Arga e a jusante, enquanto em terra se percorrem as margens do rio.

De acordo com fonte da GNR, o homem, de 33 anos, foi visto a «afogar-se» na zona de Freixieiro de Soutelo, Viana do Castelo, quando praticava canoagem com um grupo de amigos, pelas 13:30 de domingo, como relata a Lusa.