Rui Pedro, cujo desaparecimento ocorreu há 20 anos em Lousada onde vivia com os pais, é, juntamente com a inglesa Madeleine McCann, uma das sete crianças que constam da lista da Polícia Judiciária sobre pessoas desaparecidas.

Segundo indica a página da Polícia Judiciária, Rui Pedro Teixeira Mendonça, nascido a 28 de janeiro de 1987, em Paredes, desapareceu a 4 de março de 1998. Na altura, com 11 anos, tinha 1,50 metros de altura, cabelo e olhos castanhos e pesava 45 quilos.

Precisamente 15 anos após desaparecimento, a 4 de março de 2013, os desembargadores condenaram o camionista Afonso Dias com uma pena efetiva de três anos, acreditando que ele tinha levado Rui Pedro a Alcina Dias, prostituta, cujo depoimento foi alegadamente desvalorizado em Lousada, por entrar em contradição com aquilo que tinha sido investigado em 1998.

Afonso Dias, já depois de sair da cadeia, continuou a clamar inocência, garantindo nunca ter sabido o que aconteceu a 04 de março de 1998, dia em que Rui Pedro, seu amigo, desapareceu.

Outro desaparecimento cujo mistério não chegou a ser desvendado é o da criança inglesa Madeleine McCann, natural de Leicester, que desapareceu a 03 de maio de 2007 do quarto do hotel Ocean Club, Lagos, Algarve, onde passava férias com os pais e os irmãos gémeos.

A rapariga, que tem olho esquerdo azul e verde e o olho direito com mancha castanha na íris, sendo por isso facilmente identificável, nunca apareceu, apesar dos esforços das polícias portuguesa e inglesa e de toda a cooperação judiciária internacional.

Das sete crianças que constam da lista de desaparecidos, o caso mais antigo remonta a 28 de janeiro de 1990, quando desapareceu Hélder Alexandre Ferro Pagarim Cavaco (nascido em 1973), natural de Santiago do Cacém. Desapareceu na zona da praia de São Torpes. Era praticante de surf e vestia calças e blusão de ganga azul.

Outro dos casos mais antigos reporta-se a 13 de maio de 1994, quando desapareceu Cláudia Alexandra Silva e Sousa, natural de Oleiros, e que tinha na altura 7 anos.

Filha de uma família pobre de Lamela (Oleiros), desapareceu a caminho da escola, tendo corrido várias versões sobre o seu desaparecimento, mas nenhuma delas foi confirmada.

Por seu lado, Sofia Catarina Andrade de Oliveira, filha de um pescador de Câmara de Lobos, desapareceu a 22 de fevereiro de 2004, com apenas dois anos, num caso em que chegou a haver a suspeita de rapto parental, mas que até hoje permanece em mistério.

Tatiana Paula Mesquita Mendes, uma criança nascida na Guiné-Bissau, foi considerada desaparecida em maio de 2005, depois de ter sido adotada por um casal com a concordância da mãe, tendo a mãe adotiva comunicado que tinha sido entregue por si a uma outra pessoa, ainda em 2004, e que a menina tinha falecido num acidente de viação em Espanha. O seu caso continua a figurar na lista de desaparecidos da PJ. Teria hoje 19 anos.

Rita Slof Monteiro, desaparecida em 17 de fevereiro de 2006, é outro dos rostos da lista de desaparecidos da PJ.

Na altura com 18 anos, Rita Slof Monteiro terá saído naquela manhã de casa para ir ter com as amigas junto ao mercado de Matosinhos para apanharem o autocarro para a escola. Naquele dia tinha uma visita de estudo à Fundação Serralves. Nunca mais apareceu.