Com a chegada do calor, o sol convida-nos a sair de casa e a praia chama a banhos. Nestes dias de verão, saiba como se proteger contra a radiação solar.

Apesar dos céus nublados, o calor tem feito com que muitos portugueses invadissem as praias. Contudo, é importante proteger a pele contra os raios solares, mesmo quando parece não haver sol.

“A radiação ultravioleta é uma radiação não visível. É muitas vezes nestes dias nublados que se apanham os maiores escaldões”, afirma Miguel Trincheiras, dermatologista, em entrevista ao Diário da Manhã, acrescentando que são necessários “cuidados redobrados mesmo nesta altura em que não há muito sol”.


O uso de protetor solar deve ser diário e aplicado sempre antes da exposição ao sol. O creme deve ser posto, por isso, antes de chegar à praia.

“A primeira coisa que devemos ter em conta quando escolhemos um protetor solar é o nosso tipo de pele”. O creme deve ser adequado ao fototipo da pele e da forma como reage à exposição solar. Peles mais claras e com tendência para sofrer queimaduras solares necessitam de fatores de proteção mais elevados.
 

Contudo, “para o fototipo da nossa população, diria que não deve ser utilizado um protetor com um fator inferior a 30”, garante o dermatologista.


Miguel Trincheiras alerta também para o “cuidado com as crianças”, pois “têm uma capacidade de defesa própria muito inferior à dos adultos”. “Expor uma criança com menos de dois anos diretamente ao sol, decididamente, não”. Aos mais novos não deve ser aplicado um protetor com um fator inferior a 50, que deve ser reaplicado durante todo o dia.