A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) pediu ao Infarmed a retirada do mercado do creme ‘Depuralina Celulite’, por conter um ingrediente proibido em cosméticos na União Europeia desde 2015.

De acordo com um comunicado da DECO, o creme é comercializado pelo laboratório TheraLab – Produtos Farmacêuticos e Nutracêuticos, Lda e o ingrediente encontrado (isobutylparaben) é suspeito de ser desregulador endócrino.

“O Comité Científico da Segurança dos Consumidores, devido à falta de informação, considerou que o risco deste composto para a saúde humana não podia ser avaliado e, por isso, recomendou que este ingrediente fosse proibido em todos os produtos cosméticos”, explica a DECO.

A Defesa do Consumidor recomenda que quem tenha o ‘Depuralina Celulite’ não o utilize e aconselha os consumidores e ler sempre atentamente o rótulo dos produtos para verificar se existem componentes que podem causar reações alérgicas.

O ingrediente proibido

Diz ainda que informou a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) sobre esta matéria e solicitou a retirada do produto do mercado.