A Secretaria de Estado das Comunidades confirmou esta quarta-feira à Lusa que um cidadão português, que viveu sete anos em situação irregular na Florida, nos Estados Unidos, já foi deportado pelas autoridades norte-americanas e está a caminho de Portugal.

«Tratou-se de uma situação de deportação», já que o cidadão português, natural dos Açores, «estava em situação irregular nos Estados Unidos e foi deportado», disse à agência Lusa Cristina Santos Pedroso, do gabinete do secretário de Estados das Comunidades Portuguesas, José Cesário.

De acordo com a responsável, o português de 40 anos chega ainda hoje a território português via Irlanda.

Cristina Santos Pedroso explicou que a «grande diferença horária» impediu que a informação da deportação chegasse logo à Secretaria de Estado das Comunidades.

«Ele ficou perplexo com a situação de deportação, mas ele próprio sabia que estava em situação irregular», explicou a mesma responsável, acrescentando que se trata de uma pessoa ¿esclarecida e informada¿, cuja família vive em Portugal.

De acordo com o Diário de Notícias, trata-se de um açoriano de 40 anos, nascido na ilha do Faial, e que, depois de detido pelas autoridades no aeroporto nova-iorquino JFK, terá passado «mais de 20 horas fechado numa sala de aeroporto, sem comida, nem água e sem contacto com o exterior», antes de ser levado para a prisão de Nova Jérsia.

Em várias mensagens divulgadas na rede social Facebook, e citadas pelo jornal, o cidadão português queixa-se de tratamento desumano e de ter sido tratado como se fosse um terrorista.