Portugal formou, desde 2005, mais de 20 mil militares, a maioria dos quais provenientes dos países de língua portuguesa, disse esta quarta-feira em Lisboa o secretário de Estado da Defesa e dos Assuntos do Mar, João Mira Gomes.

O governante, que falava no Seminário «Segurança e Defesa no Espaço Lusófono», adiantou que, daquele total, mais de 15.500 foram formados nos países de origem e os restantes em Portugal.

No quadriénio 2005/2008, o investimento total português na Cooperação Técnico-Militar (CTM) rondou os 19 milhões de euros, acrescentou. «São números impressionantes, mas queremos ir mais longe», disse Mira Gomes.

Para o secretário de Estado, a avaliação da CTM com os países de língua portuguesa é «muito positiva» e é anterior à criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), formalizada em 1996, salientou.

«O traço mais importante desta cooperação é a flexibilidade e adaptabilidade para acções concretas nos vários ramos», das forças armadas dos países envolvidos, acrescentou.