O Exército vai reforçar a segurança física dos paióis de Santa Margarida, Santarém, incluindo a renovação da rede periférica, controlo de acessos e videovigilância, e cancelou os investimentos previstos para Tancos, disse à Lusa o porta-voz.

O concurso para a reconstrução da vedação dos Paióis Nacionais de Tancos, no valor de 316 mil euros mais IVA, autorizado pelo ministro da Defesa em junho, vai ser cancelado na sequência da decisão do Exército de encerrar aquelas estruturas, disse o porta-voz do ramo, tenente-coronel Vicente Pereira.

Aquela verba destinava-se à reconstrução da vedação este do perímetro dos Paióis Nacionais de Tancos (PNT), já que a parte oeste já tinha sido renovada, disse.

O ministro da Defesa Nacional confirmou na quarta-feira que os Paióis de Tancos serão definitivamente encerrados pelas "dificuldades logísticas de garantir a segurança dos equipamentos".

Questionado pela Lusa, o Exército referiu que o transporte das cargas dos PNT para Santa Margarida, base onde está sediada a Brigada Mecanizada, vai "iniciar-se o mais brevemente possível".

Além de Santa Margarida, os paióis da Força Aérea e da Marinha poderão receber parte do material armazenado em Tancos.

A transferência do material para Santa Margarida implicará o reforço da segurança física, com a "substituição da rede periférica e a implementação do sistema SICAVE [sistema integrado de controlo de acessos e videovigilância]".

Segundo Vicente Pereira, já foi reforçada a segurança destas instalações com mais militares para a vigilância e controlo dos paióis.

O Exército divulgou no passado dia 29 de junho o furto de material de guerra dos paióis de Tancos, Vila Nova da Barquinha, Santarém, com um valor estimado em 34.400 euros.