O Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa acusou 15 arguidos pela prática de crimes relacionados com a obtenção de cartas de condução, entre os quais a falta de frequência de aulas teóricas e práticas.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa comunicou esta sexta-feira que a acusação foi deduzida na terça-feira, sendo imputado a oito arguidos os crimes de corrupção passiva para ato ilícito, num total de 31 ilícitos, e a um outro 10 crimes de atestado falso.

O DIAP de Lisboa acusou seis arguidos da prática de crimes de corrupção ativa para ato ilícito.