David Duarte, o jovem de 29 anos que morreu no Hospital de São José, depois de esperar um fim de semana inteiro por uma cirurgia, na sequência de um aneurisma, não foi a primeira vítima da falta de equipa de neurocirurgia naquele hospital.

De acordo com o jornal Expresso, só desde o ano passado já morreram outras quatro pessoas na mesma situação. Na altura, os casos não foram tão polémicos, uma vez que se tratavam de pessoas “menos jovens, com familiares menos proativos, tendo por isso passado despercebidos”.

Agora, segundo o Diário de Notícias, tanto o Estado como os próprios médicos do Hospital de São José poderão vir a ser julgados por homicídio.

O ministro da Saúde determinou, entretanto, a abertura de um inquérito ao caso a realizar pela Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS), tendo também o Ministério Público aberto um inquérito ao caso da morte do jovem no Hospital de S. José. 
 
O governante garantiu ainda ontem que o problema não se voltará a repetir. 

Depois da morte deste jovem, os presidentes da ARSLVT, do centro Hospitalar de Lisboa Central e do Centro Hospitalar Lisboa Norte demitiram-se