Atuação de Miguel Pinheiro no 43º Prix de Lausanne (Foto: EPA)


«Estive muito à vontade», durante a prova, disse à Lusa. «Já não era a primeira vez [que prestava provas] e correu muito bem», afirmou.


«É uma recompensa de todo um ano de esforço [que dedico] aos meus professores e aos meus colegas»