De acordo com a Lusa, Miguel Pinheiro foi distinguido com o prémio de interpretação de dança contemporânea, no Prix de Lausanne, além de garantir uma das bolsas atribuídas pela competição, e Ito Mitsuru obteve o terceiro lugar na final do concurso.

O jovem bailarino português Miguel Pinheiro foi distinguido graças à atuação em dança contemporânea na final da 43ª edição do Prix de Lausanne.

Atuação de Miguel Pinheiro no 43º Prix de Lausanne (Foto: EPA)

O bailarino português disse à Lusa que a dança contemporânea é uma modalidade que aprecia particularmente, na qual se sente seguro.

«Estive muito à vontade», durante a prova, disse à Lusa. «Já não era a primeira vez [que prestava provas] e correu muito bem», afirmou.

Miguel Pinheiro dedica o prémio aos professores e colegas: «É uma recompensa de todo um ano de esforço [que dedico] aos meus professores e aos meus colegas», disse à Lusa o bailarino de 17 anos.

O seu colega em Lisboa, o bailarino japonês Ito Mitsuru, obteve o terceiro lugar no concurso, facto que deixou contente o bailarino português. «Também fiquei muito feliz por ele», afirmou.

Para o diretor da Escola de Dança do Conservatório Nacional, Pedro Carneiro, este resultado recompensa o trabalho de ambos. «O mérito é todo deles», disse.

Domingo, os restantes três candidatos portugueses presentes na Suíça, Alice Pernão, Teresa Dias e Francisco Patrício, também alunos da escola lisboeta, têm entrevistas marcadas com diretores de escolas e companhias internacionais, no quadro do forum especial de dança, organizado pelo Prix de Lausanne, de acordo com Pedro Carneiro.

Lançado em 1973, o Prix de Lausanne constitui um dos mais exigentes certames de dança a nível mundial, para jovens entre os 15 e os 18 anos, na fase final de formação.