A edição 2015 da Bienal de Cerveira abre portas este sábado, em Vila Nova de Cerveira, com mais de 500 obras de arte, assinadas por três centenas de artistas de 33 países, segundo a organização.

Segundo a Fundação Bienal de Cerveira, a inauguração daquela que será a 18.ª edição do certame, conta com a presença da artista grega Danae Stratou, que apresentará um trabalho de vídeo com textos de Yanis Varoufakis, seu marido e ex-ministro das Finanças da Grécia.

“O formato, adotado desde a primeira bienal, será mantido de acordo com o objetivo a que este evento se propõe desde 1978: um local de encontro, debate e investigação de arte contemporânea, num programa concertado com a vizinha Galiza e o ensino superior a nível europeu”, acrescenta o comunicado divulgado pela Fundação.

Margarida Reis, com trabalhos na área da tapeçaria, é outra das artistas convidadas.

O programa, que decorre até ao dia 19 de setembro, envolve representações de 13 instituições de ensino superior das áreas artísticas, com apresentação dos departamentos de investigação artística e as produções de alunos e professores.

Nesta edição, serão homenageados Eurico Gonçalves, pela dedicação e contribuição que teve ao longo dos 35 anos da Bienal de Cerveira, Alcino Soutinho, pela sua intervenção no castelo daquele concelho, e Dacos, que colaborou com a bienal durante mais de 10 anos, tendo sido responsável pelos ateliês de gravura.

A Bienal Internacional de Arte de Cerveira, a mais antiga do país, realiza-se desde 1978 e tem recebido, nas últimas edições, entre 80 mil a 90 mil visitantes.

Com um orçamento que ronda os 500 mil euros, envolve um concurso internacional aberto a artistas portugueses e estrangeiros.

Atribui em todas as edições um primeiro prémio, um prémio revelação e, este ano, terá um prémio do Instituto Português do Desporto e Juventude, para um artista com idade até 30 anos.

Além da exposição das obras, o programa do certame vai incluir conferências, debates, ateliês, visitas guiadas e espetáculos de luz e som.

Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Brasil, Bulgária, Canadá, Chile, China, Chipre, Colômbia, Coreia, Espanha, França, Grécia, Holanda, Irão, Islândia, Israel, Itália, Japão, México, Moçambique, Peru, Polónia, Portugal, Reino Unido, Roménia, Rússia, Sérvia e Estados Unidos da América são os países de origem dos artistas que participam nesta edição da bienal.