A Sociedade Polis Litoral Ria Formosa concluiu esta quarta-feira, no segundo dia da operação, a demolição de 23 construções ilegais no núcleo do Farol Nascente da Ilha da Culatra.

Em comunicado, o gabinete do ministro do Ambiente, Matos Fernandes, refere que nos próximos dias irá realizar-se a remoção dos detritos resultantes da operação. Realça, uma vez mais, que não foi demolida nenhuma edificação que sirva de primeira e única habitação, nem as edificações de apoio à atividade dos pescadores, viveiristas ou mariscadores na Ria Formosa.

A operação, iniciada na terça-feira, incidiu apenas sobre 23 das 36 edificações identificadas em zona de risco e em domínio público marítimo. As restantes 13 construções ali existentes estão, por enquanto, protegidas por providências cautelares, interpostas antes e durante o processo de posse administrativa.

Segundo disse à agência Lusa, o presidente da Sociedade Polis, José Pacheco, a reposição dos locais onde estavam as construções deverá estar concluída até ao dia 20 de maio, ou seja, antes do início da época balnear.