A unidade de cuidados paliativos de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, tem assegurado para os próximos três anos um financiamento de 1,5 milhões de euros, divulgou esta entidade gestora.

Esta unidade com 16 camas destina-se a prestar cuidados a doentes em fim de vida e apoio aos familiares e está integrada na Unidade Local de Saúde do Nordeste Transmontano (ULS Nordeste).

Este serviço que já existia com nove camas foi alargado recentemente com o encerramento da unidade de convalescença para cuidados continuados, existente no hospital de Macedo de Cavaleiros.

A ULS Nordeste divulgou esta sexta-feira que a unidade de cuidados paliativos «vai receber um financiamento de aproximadamente 1,5 milhões de euros, até 2017, através do contrato-programa estabelecido com o Governo, no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI)».

A verba atribuída para uma dotação de 16 camas destinadas a doentes com necessidade de cuidados paliativos, será assim de cerca de 500 mil euros por ano, ao longo de três anos.

Os cuidados paliativos são prestados em fim de vida e «melhoram de forma assinalável a qualidade de vida dos doentes que deles beneficiam, minorando o sofrimento físico e psíquico, e possibilitam igualmente apoio multidisciplinar aos seus familiares».

«É pois com enorme satisfação que a ULS Nordeste recebe este investimento do Governo na prestação desses cuidados», lê-se num comunicado do gabinete de Comunicação.

A ULS Nordeste recorda que dados divulgados pela Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos dão conta de que cerca de 90 por cento dos doentes portugueses que precisam de cuidados paliativos não os recebe, por não lhes conseguir aceder em tempo útil.

Por sua vez, o Núcleo de Estudos de Medicina Paliativa da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna alertou recentemente que «com a maior longevidade da população e o aumento das doenças oncológicas, calcula-se que cerca de 80 por cento dos doentes com cancro que virão a falecer podem necessitar de cuidados paliativos diferenciados».

No distrito de Bragança, além da unidade de Macedo de Cavaleiros, onde são prestados cuidados paliativos em regime de internamento, a ULS Nordeste dispõe também, de equipas intra-hospitalares de cuidados paliativos em cada um dos três hospitais (Bragança, Macedo de Cavaleiros e Mirandela).

Outra aposta é a criação de uma rede de cuidados paliativos domiciliários na região, com a colaboração das câmaras e misericórdias.

O projeto que funciona há vários anos no Planalto Mirandês (Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso), deverá ser alargado «brevemente» aos concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros e Vinhais, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

Esta região vai também receber, a 23 de maio, o III Fórum Clínico Académico de Cuidados Paliativos da Região Norte, a realizar em Macedo de Cavaleiros para promover o intercâmbio de conhecimentos entre as equipas clínicas e académicas envolvidas no âmbito dos cuidados paliativos na região Norte do país.