a despesa pública em percentagem do PIB relativa aos cuidados continuados em Portugal encontra-se abaixo da média dos países europeus.




Necessidade de cuidados paliativos tende a aumentar