O reitor da Universidade do Minho, António Cunha, é o novo presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), substituindo António Rendas, que renunciou ao cargo no final de setembro.

António Cunha foi eleito esta terça-feira durante a reunião do plenário de reitores, que decorreu esta manhã em Lisboa e na qual participam os reitores das 15 universidades que compõem o CRUP.

Depois de meses a ameaçar que iria deixar a direção do CRUP, António Rendas anunciou publicamente, no final do mês de setembro, a decisão de deixar a meio o seu segundo mandato, que deveria terminar apenas em 2016.

O reitor da Universidade Nova de Lisboa negou que, na base da sua decisão, estivessem divergências com o Governo, tendo justificado a saída com a necessidade de tempo para dedicar à sua instituição.

Já as prioridades do novo presidente do CRUP são "o reforço da autonomia universitária e a procura de condições para um financiamento adequado, estável e transparente das universidades públicas", refere o organismo em comunicado.

No entanto, António Cunha «não pretende que o seu mandato fique capturado pela discussão de questões orçamentais e elenca dossiês como a regime jurídico das instituições de ensino superior, a carreira docente universitária, a centralidade das universidades na produção científica nacional, a internacionalização e a interação mais efetiva com a sociedade», acrescenta o CRUP.

O professor da Universidade do Minho (UM) foi eleito para exercer as funções de presidente do CRUP no triénio 2014-2017.

António Cunha é professor catedrático da UM desde 2003, tendo sido eleito reitor daquela universidade em 2009 e 2013. É doutorado em Ciência e Engenharia de Polímeros e tem um percurso caraterizado por uma intensa interação com o tecido económico-produtivo.