Cristiano Ronaldo aceitou dois anos de pena suspensa e o pagamento de 18,8 milhões de euros, resolvendo assim o litígio com o fisco espanhol, que o acusava de fraude fiscal, anuncia o El Mundo.

O internacional português admitiu ter cometido quatro delitos fiscais (seis meses de prisão por cada um), como impunha a Agência Tributária, relativos à tributação de direitos de imagem entre 2011 e 2014.

O fisco espanhol, escreve ainda o El Mundo, baixou, ainda assim, o montante da fraude de 14,7 milhões para 5,7 milhões, que, todavia, acaba por ascender a um montante final de 18,8 milhões devido a multas e juros.

Com este acordo, que carece apenas da assinatura do novo diretor do fisco, Cristiano Ronaldo resolve todos os seus problemas fiscais em Espanha, tanto por via penal como administrativa.