A Polícia Judiciária (PJ) constituiu arguido um homem de 35 anos por simulação de crime, após ter denunciado que foi alvejado numa perna, na noite de segunda-feira, quando alegadamente se encontrava a descansar no carro em Moledo, Caminha.

Em comunicado hoje divulgado, a PJ de Braga referiu que, na sequência das investigações, concluiu que o disparo tinha sido realizado pela suposta vítima sobre si próprio, acidentalmente, quando manuseava a arma de fogo.

O homem deu entrada no Hospital de Viana do Castelo, vítima de disparo de arma de fogo, que imputou a terceiros.

Além de simulação de crime, o arguido está ainda indicado por detenção de arma proibida.

Segundo fonte da GNR, o homem contou que foi alvejado numa perna quando estava na berma da Estrada Nacional (EN) 13, em Moledo, Caminha, a descansar no carro da viagem que efetuava entre Espanha e Portugal.

De acordo com o seu testemunho, o disparo foi efetuado «sem que nada o justificasse», por «um de dois homens» que saiu de um carro «escuro» que parou na mesma zona.

«A vítima não conseguiu detalhar nenhuma característica nem dos agressores, que garantiu desconhecer, nem da viatura em que se faziam transportar», afirmou a fonte da GNR.

A viatura da vítima foi removida para o posto da Guarda Nacional Republicana de Caminha para ser analisada pela PJ.