A Unidade Territorial da GNR de Braga foi aquela onde houve maior redução da criminalidade em 2014, registando menos 3588 crimes que no ano anterior, assinalou hoje o comandante daquele Comando Territorial.

A discursar, esta tarde, a propósito do 7º aniversário do Comando Territorial de Braga na "atual configuração", o coronel Tinoco Ferreira realçou o "assinalável serviço no combate ao crime" da GNR considerando que a "melhoria" dos resultados operacionais deve-se a uma "multiplicidade" de fatores como "a aposta na especialização, nas novas tecnologias, na formação e de uma nova visão estratégica que pretende transformar a Guarda numa força de segurança próxima, humana e de confiança", cita a Lusa.

Entre os resultados alcançados, Tinoco Ferreira destacou a diminuição em 5% de crimes contra as pessoas e de 8% em crimes contra o património e a detenção com "maior frequência" dos autores de crimes contra o património e a recuperação dos objetos furtados, na sequência imediata da atividade criminosa, em flagrante ou quase flagrante delito.

"Este comando tem feito um assinalável serviço no combate ao crime, sendo a Unidade Territorial da Guarda onde se verificou a maior redução da criminalidade no ano de 2014, registando menos 3588 crimes que no ano anterior", revelou o responsável.

Do início do ano e até 31 de outubro, a GNR de Braga deteve 1677 cidadãos em flagrante delito, mais 30% comparativamente com o ano anterior.

No que à violência doméstica diz respeito, a GNR registou, até ao momento, 970 crimes, mais 5% que no mesmo período do ano anterior dos quais resultaram 36 detidos, 8 ficaram em prisão preventiva e 28 com pulseira eletrónica tendo sido constituídos arguidos mais de 331 indivíduos.

"No âmbito destes crimes [violência doméstica} foram apreendidas 115 armas de fogo e uma quantidade avultada de munições, estando este Comando convicto que são medidas cautelares muito pertinentes para se evitarem desfechos mais trágicos para as vítimas desta tipologia criminal", destacou Tinoco Ferreira.

Segundo o responsável pela GNR de Braga, até ao final do passado mês de outubro foram registados um total de 10501 crimes, "aqui incluídos os crimes que resultam da intervenção direta da Guarda, nomeadamente ao nível da condução sob o efeito do álcool e sem habilitação".

Embora reconheça "um ligeiro aumento na criminalidade global do distrito, comparativamente com o mesmo período do ano anterior, muito por força dos crimes de incêndio e da própria ação da Guarda no controlo de alcoolemia", Tinoco ferreira destacou "que os crimes contra as pessoas e contra o património diminuíram 5 e 8%" respetivamente.

"São estes os que mais nos preocupam, tendo em conta o dano pessoal e a preocupação que causam às populações".

Para Tinoco Ferreira, "o segredo dos bons resultados operacionais que se tem vindo a registar nos últimos anos reside na qualidade, no saber, na dedicação e na motivação dos recursos humanos" que servem em Braga.

"Investindo na permanente qualificação profissional dos nossos efetivos e numa resposta determinada, sólida, competente e de confiança, estaremos à altura dos desafios que nos esperam, pois somos uma Instituição de referência, perfeitamente comprometida com os desígnios do nosso tempo", garantiu o militar.

O Comando Territorial de Braga da GNR "chegou e assumiu" definitivamente a sua sede na cidade de Braga, em 24 de novembro de 1916, constituindo esta data a referência histórica para a celebração do dia daquela Unidade.