O Tribunal de Sabrosa decretou esta sexta-feira prisão preventiva ao suspeito de pelo menos uma dezena de burlas a agricultores de Sabrosa, Murça, Valpaços e Chaves, a quem comprou azeite e vinho com cheques furtados, disse fonte policial.

O homem de 60 anos, motorista, foi detido pela Unidade Local de Investigação Criminal da Polícia Judiciária de Vila Real pela suspeita dos crimes de falsificação de documentos e burla qualificada.

A investigação da PJ apurou que o arguido se dedicava, pelo menos desde há cerca de um ano, à aquisição de vinho e azeite em vários concelhos do interior transmontano mediante a utilização de cheques furtados.

De acordo com António Torgano, da unidade de Vila Real, o suspeito abordava pequenos agricultores, já idosos, a quem se prontificava comprar as suas produções a bons preços.

Desta forma, segundo a PJ, o arguido conseguiu «obter ilicitamente elevados ganhos económicos e provocou elevados prejuízos a pequenos agricultores, deixando alguns em situação económica difícil».

O arguido fazia-se passar pelos titulares dos cheques utilizados e deslocava-se em veículos com matrículas falsas.

António Torgano referiu que a investigação foi difícil, até na identificação do próprio suspeito, que abordava as vítimas com identidades falsas.

O suspeito foi ouvido durante toda a tarde no Tribunal de Sabrosa, que acabou por aplicar a medida de coação mais grave, a prisão preventiva.