O homem de 54 anos suspeito da prática de dois crimes de homicídio, na forma tentada, cometidos no domingo no concelho de Alvaiázere, de que foi vítima um casal, vai aguardar julgamento em prisão domiciliária.

«Ao arguido foi determinada, como medida de coação, a obrigação de permanência na habitação», disse à agência Lusa fonte da Polícia Judiciária (PJ), explicando que o suspeito regressou às instalações desta força policial depois do primeiro interrogatório judicial, onde se manterá até à instalação do dispositivo da pulseira eletrónica.

Em comunicado emitido na segunda-feira, a Diretoria do Centro da PJ esclareceu que «os factos ocorreram na sequência de desentendimentos entre o suspeito e os ofendidos, supostamente relacionados com uma dívida antiga, tendo o primeiro efetuado dois disparos na direção dos mesmos, colocando em perigo as suas vidas e vindo a atingir um deles na face».

A PJ adiantou que ao homem, solteiro e agricultor, «foi apreendida uma arma de fogo, em situação ilegal», e com a qual é suspeito de ter praticado os crimes.

A detenção teve a colaboração da GNR de Alvaiázere, concelho do distrito de Leiria.

Fonte da PJ referiu que «o suspeito terá trabalhado por conta do ofendido na construção civil e que este lhe terá ficado a dever dinheiro de salários», numa situação que remonta a 2005.

«Encontraram-se acidentalmente esta semana e o arguido terá exigido o pagamento da dívida. O ofendido disse que resolveriam a situação», afirmou a mesma fonte, acrescentando que quando o suspeito chegou à residência do casal para solucionar o problema a vítima saiu.

O arguido terá interpretado esta situação como se o alegado devedor estivesse a fugir e, «inconformado com a situação, foi a casa buscar a arma» e dirigiu-se à residência do casal, onde abordou o homem e, depois, «apontou-lhe a arma à cabeça, tendo-o atingido na face».

«O detido disparou, também, sobre a mulher, quando esta se preparava para fugir, mas não a atingiu», informou ainda.