Os pais da bebé de quatro meses que morreu em agosto com queimaduras provocadas por água a ferver vão ser julgados pela prática de crimes de homicídio qualificado, ofensas à integridade física e violência doméstica.

O Ministério Público anunciou na quarta-feira que concluiu o inquérito relativo à morte da criança e que requereu o julgamento em tribunal coletivo contra os dois arguidos, o pai e a mãe da criança.

«No essencial ficou indiciado que estes dois arguidos provocaram queimaduras de segundo grau em 50% do corpo da bebé de quatro meses, sua filha, por imersão em água sobreaquecida, tendo-lhe assim provocado a morte», refere um comunicado divulgado no site da Internet da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

O Ministério Público pediu ainda a aplicação da pena acessória de inibição do poder paternal relativamente a dois outros menores filhos dos arguidos, também vítimas.

«Na secção especializada de menores de Lisboa foram instaurados processos relativamente aos dois filhos menores dos arguidos», refere a nota.

O pai está preso preventivamente, enquanto a mãe está em prisão domiciliária com pulseira eletrónica.