Uma mulher de 33 anos foi detida por suspeita de «introdução de estupefacientes e outros produtos» no Estabelecimento Prisional de Coimbra, anunciou esta segunda-feira a Diretoria do Centro da Polícia Judiciária (PJ).

A mulher, operadora de «call center», sem antecedentes criminais, já foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva, adianta uma nota da PJ.

A detida é «suspeita de, por interposta pessoa e por diversas ocasiões, tentar introduzir cerca de oitocentas doses de haxixe e vários telemóveis no Estabelecimento Prisional de Coimbra», acrescenta a mesma nota.

A «presumível autora da prática de um crime de tráfico de estupefacientes» foi detida no âmbito de «uma investigação que decorria há já alguns meses».

O Tribunal de Coimbra condenou, em 13 de novembro, 11 pessoas por envolvimento numa rede de tráfico de estupefacientes naquela cadeia, entre as quais uma telefonista do próprio estabelecimento prisional, que foi condenada a 11 anos de prisão, e nove reclusos.

A rede montada na prisão de Coimbra envolvia tráfico de telemóveis, estupefacientes (haxixe e heroína) e esteroides.