O Ministério Público do Porto acusou duas pessoas por enganarem, entre 2012 e 2014, 230 pessoas com promessas de emprego no estrangeiro, a quem pediam dinheiro para pagar os alegados vistos, conseguindo apropriar-se de 22 mil euros.

Segundo a acusação, deduzida a 11 de setembro, mas só conhecida esta quarta-feira, os arguidos estão acusados de 31 crimes, cada de burla relativa a trabalho ou emprego qualificado, avançou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto, na sua página oficial.

Entre dezembro de 2012 e janeiro de 2014, os suspeitos dedicaram-se “em comunhão de esforços” a obter lucros publicando falsos anúncios de emprego no estrangeiro, “propondo retribuições de valor não inferior a sete vezes o salário mínimo nacional e pagamento das despesas de alimentação, alojamento e viagens”.

“Os candidatos que se apresentavam a responder aos anúncios publicados eram convencidos a dar início a um pretenso processo de contratação, para o que deviam fornecer elementos de identificação civil, passaporte, número de identificação fiscal e entregar ou depositar uma determinada quantia em dinheiro cujo destino seria o pagamento do visto de entrada nos países estrangeiros”, lê-se na nota.

No total, os presumíveis burlões ficaram com 22 mil euros às 230 pessoas enganadas por este "esquema", na sua grande maioria desempregadas.