O homem que matou o cunhado com uma facada nas costas em Maio do ano passado na Rua do Alportel, em Faro, foi esta segunda-feira, condenado em cúmulo jurídico a 25 anos de prisão pelo Tribunal Judicial local, avançou a Agência Lusa.

Apesar de não terem ficado provados os motivos que levaram José Encarnação a matar o cunhado, de 62 anos, no acórdão foi referido que o homem actuou de forma «cobarde», não dando possibilidade à vítima de se defender.

O cúmulo jurídico de 25 anos de prisão decidido em tribunal tem em conta um outro crime cometido por José Encarnação, em Dezembro de 2007, quando esfaqueou outro homem, que conseguiu sobreviver.

A pena estipulada pelo Tribunal de Faro resulta do cúmulo jurídico das penas de 21 anos pelo homicídio consumado do cunhado e de nove anos e meio pelo homicídio na forma tentada.

O homicida já tinha sido condenado a 18 anos de prisão pela morte da filha bebé, que há cerca de 20 anos foi asfixiada pelo pai com um fio eléctrico enquanto dormia, mas acabou por sair em liberdade após oito anos.

No que respeita ao homicídio de Joaquim Pires, o homem foi ainda condenado a pagar 70 mil euros à viúva e 50 mil à filha, agora com 13 anos e que vive com a mãe em casa de uma tia, que as acolheu após o crime.

Há mais de 30 anos que havia desavenças entre a vítima e o homicida, que já o tinha agredido com um ferro dois anos antes, crime pelo qual foi condenado a pagar uma multa de 500 euros.

O crime ocorreu a 17 de Maio de 2008, durante o dia, na Rua do Alportel, em Faro, quando José Encarnação esfaqueou a vítima pelas costas, que ainda caminhou alguns metros e depois caiu inanimado.