Duas mulheres e um homem foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), suspeitos do homicídio e da ocultação do cadáver de um industrial das Caldas da Rainha desaparecido há um ano, divulgou a diretoria de Leiria, nesta sexta-feira.

De acordo com o coordenador da Polícia Judiciária de Leiria, António Sintra, o empresário, de 55 anos, “foi dado como desaparecido a 11 de fevereiro do ano passado”, mas a investigação apontou no sentido de que “poderia tratar-se de um eventual homicídio”.

O homicídio foi confirmado na quinta-feira com a detenção dos três suspeitos e a “recuperação do cadáver, amarrado e enterrado” no jardim de uma moradia em Alfeizerão (no concelho de Alcobaça), à data do crime alugada por dois dos detidos - o irmão da companheira do empresário e a respetiva companheira.

A convicção da PJ é de que o crime, alegadamente perpetrado pela companheira do empresário (de 26 anos), o irmão (de 24) e a companheira (de 31), tenha ocorrido no apartamento do casal, nas Caldas da Rainha.

“O crime de homicídio terá sido perpetrado […] mediante agressões físicas, seguindo-se a profanação e ocultação do cadáver, bem como a ilegítima apropriação de pertences da vítima”, refere um comunicado divulgado pela PJ.

Após o homicídio, “o corpo foi transportado de carro para o jardim onde foi enterrado”, numa moradia à época alugada ao irmão e à cunhada da companheira da vítima, que entretanto deixaram a casa.

Segundo António Sintra, “havia um historial de agressões entre o casal, algumas das vezes envolvendo o irmão da companheira e a cunhada, e que resultaram em várias queixas de violência doméstica”.

Os detidos, comerciantes e desempregada, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.