O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras desmantelou uma célula de uma rede internacional de falsificação de documentos, que atuava na América Latina, e que tinha como objetivo documentar cidadãos hindus na Europa.

Esta rede enviava os documentos para uma morada na zona centro de Portugal, sobretudo documentos de identificação e cartas de condução espanholas falsas, que dali eram distribuídas para essas pessoas.

No operação foram detidos dois cidadãos de nacionalidade estrangeira, um dos quais em flagrante delito, por fortes indícios da prática do crime de falsificação ou contrafação de documentos e o outro por se encontrar totalmente indocumentado. O primeiro será presente às autoridades judiciais para aplicação de eventuais medidas de coação e o segundo, por se encontrar indocumentado, já foi presente a Tribunal, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de apresentações semanais.

Foram ainda notificados mais seis cidadãos, todos de origem hindu, para abandono de território nacional por se encontrarem em situação irregular.

Esta operação visou o cumprimento de três mandados judiciais - um mandado de busca domiciliária, um mandado de busca a estabelecimento comercial e um mandado de busca a viatura, resultando na apreensão de variada prova documental.