O cadáver de um homem foi encontrado, este domingo de manhã, na mala de um carro, em Valongo. As autoridades detiveram um suspeito.

A descoberta do corpo aconteceu depois de um homem de nacionalidade venezuelana ter entrado na lavandaria de um hipermercado local e ter entregado as roupas ensanguentadas para lavar.
 
A funcionária chamou a polícia e o suspeito foi obrigado a abrir o porta-bagagem do automóvel, onde se encontrava o cadáver. O indivíduo terá dito às autoridades que tinha assassinado o homem há três dias.
 
A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar a morte do homem encontrado na bagageira de um automóvel, depois de a PSP ter detido o condutor da viatura por furto, disse à Lusa fonte policial.

De acordo com fonte da PSP, o cadáver, de um homem de cerca de 60 anos, apresentava “sinais de esfaqueamento” e foi encontrado pelas 09:40 por aquela força policial na bagageira do carro conduzido pelo detido, de 34 anos.

A mesma fonte indicou que tanto o morto como o detido são de Lisboa e que o homicídio não terá acontecido no momento nem no local onde o corpo foi encontrado, no concelho de Valongo, distrito do Porto.

“O detido, de 34 anos, foi intercetado pela PSP na sequência de um furto. Havia indicações de que, antes, já teria feito outro furto noutra loja. Quando a polícia se deslocou ao carro para ver se encontrava a mercadoria furtada, sentiu o mau cheiro. No interior da mala foi encontrado um cadáver”, descreveu a fonte da PSP.


De acordo com a PSP, a PJ está a investigar o caso.

Fonte dos Bombeiros de Valongo disse à Lusa que a corporação foi chamada a um hipermercado da freguesia de Campo devido a “uma agressão”, tendo acabado por se deparar com um “cadáver na mala de um carro” ali estacionado.