O Ministério Público (MP) acusou 18 pessoas por, alegadamente, assaltarem marcos do correio para furtar cheques, falsificando um endosso e depositando-os em contas bancárias, anunciou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

A acusação, deduzida a 04 março de 2015, mas só agora divulgada, imputa aos arguidos a prática dos crimes de furto qualificado, violação de correspondência, burla qualificada e falsificação.

Os factos aconteceram entre 2008 e 2010 e, em conjugação de esforços, os arguidos roubavam cheques, geralmente emitidos à ordem de alguma sociedade comercial, de marcos de correio, falsificavam um endosso e depositavam-nos em contas bancárias, ficando com o dinheiro.

«Os arguidos faziam mesmo, três ou quatro vezes por semana, um "giro" por diversos locais onde existiam marcos do correio, "giro" que começava na zona de Cortegaça, Ovar, seguindo depois para o Porto, Gondomar, Matosinhos, Póvoa de Varzim e Braga», lê-se na nota da PGD.