Um homem, de 57 anos, acusado de tentativa de homicídio da companheira, de 52 anos, remeteu-se hoje ao silêncio, no início do julgamento no Tribunal de Aveiro.

Após ter sido confrontado com a acusação do Ministério Público (MP), o arguido disse que pretendia falar apenas no fim do julgamento.

Durante a primeira sessão do julgamento, o tribunal ouviu as declarações para memória futura da vítima.

A mulher contou que o arguido sofria de problemas de alcoolismo, tornando-se agressivo sempre que ingeria bebidas alcoólicas, e desconfiava que a mesma tinha relações extraconjugais com homens que conhecia na internet.

O crime ocorreu na tarde do dia 11 de agosto de 2017, num restaurante que era explorado pelo casal, em Anadia.

Segundo a acusação, o arguido aparentando estar alcoolizado entrou no restaurante, dirigiu-se à cozinha, pegou numa faca e sem nada dizer espetou-a na mulher, tendo-a atingido na zona do abdómen.

Os gritos da ofendida alertaram os clientes que se encontravam no restaurante e que logo se dirigiram para a cozinha, tendo um deles retirado a faca das mãos do arguido, que também terá ameaçado espetar a faca nele próprio.

A mulher foi atendida no hospital de Coimbra e o homem foi retido no local, por um cliente, até à chegada da GNR.

O MP diz que o arguido “atuou com a intenção não concretizada de tirar a vida” à companheira e “apenas não logrou os seus intentos, atenta a posição da ofendida que estava com o telemóvel nas mãos, encontrando-se debruçada sobre o mesmo”.

Antes deste episódio o arguido, que se encontra em prisão domiciliária, já tinha agredido várias vezes a ofendida com chapadas e murros, pelo que também está acusado de um crime de violência doméstica.