Mais de 2.800 crianças e jovens perderam o direito ao abono de família entre outubro e novembro, mês em que foram registados 1.118.477 beneficiários, revelam dados do Instituto da Segurança Social (ISS) esta quarta-feira divulgados.

Os dados da Segurança Social, que não eram atualizados desde julho na sua página da Internet, apontam uma ligeira quebra de 0,25% no número de beneficiários desta prestação social em novembro (2.889) face a outubro, mês em que foi atribuída a 1.121.366 crianças e jovens.

Comparando com o mês homólogo do ano passado, em que foram registados 1.167.018 beneficiários, a quebra foi mais acentuada, com 48.541 crianças e jovens a perderam o direito ao abono de família em novembro (4,3%).

Lisboa é a região do país com o maior número de abonos de família atribuídos (224.026), seguindo-se o Porto (219.858), Braga (100.631) e Setúbal (87.469), referem os dados publicados no ‘site’ do ISS e que foram atualizados hoje.

Relativamente ao número de crianças e jovens que pediram para receber abono de família, o número chega aos 764.612 em novembro, menos 1.415 do que em outubro.

O montante do abono de família varia de acordo com a idade da criança ou jovem e com o nível de rendimentos de referência do respetivo agregado familiar.

O valor apurado insere-se em escalões de rendimentos estabelecidos com base no Indexante dos Apoios Sociais (IAS).