Uma mãe com uma filha deficiente criou um blogue onde, pela partilha do dia-a-dia da criança, tenta passar o valor da inclusão a uma sociedade que não foi ensinada para a diferença, escreve a Lusa.

Pelo caminho, Ana Rebelo, autora do blogue e mãe da Maria, quer também criar o Dia da Inclusão, um sonho que pretende ser o colmatar de uma lacuna nacional e europeia, já que existe apenas o Dia da Pessoa com Deficiência, com “um lado de tristeza”, em vez de se criar “uma ótima energia positiva, que é a inclusão”.

O blogue chama-se “A mãe da Maria” (http://www.amaedamaria.com/) porque é assim que esta mãe é conhecida, apelidada desta forma desde há 15 anos, depois do nascimento da filha mais velha, que nasceu com uma cromossomopatia rara, única no mundo, e a quem os médicos deram 48 horas de vida quando nasceu.

Segundo explicou à Lusa Ana Rebelo, a ideia de criar um projeto pensado e direcionado para as crianças com deficiência já tem alguns anos, mas só recentemente conseguiu ganhar forma, depois de algumas conversas com uma amiga que também tem um filho com deficiência e que percebeu que isso era um entrave para as empresas às quais se candidatava a um emprego.

“Aí acho que espoletou completamente e pensei que estava na hora de fazer alguma coisa porque as pessoas têm um desconhecimento completo desta realidade, da realidade das famílias com crianças deficientes”, adiantou.

Para Ana Rebelo, esta dificuldade na integração das crianças com deficiência resume-se a um facto: “Nós não fomos ensinados para esta realidade da diferença, não fomos ensinados a incluir”.

Contou que foi mãe da Maria com 25 anos e que nessa altura sentiu revolta pelo facto de as pessoas não perceberem e não aceitarem uma realidade “tão simples”.

“Nós não sabemos porque não fomos ensinados e a ideia da criação do blogue é porque a Maria é um caso de inspiração, é um caso de sucesso de inclusão, é uma criança híper, mega divertida, muito carinhosa e costumo arriscar dizer que, dos meus três filhos, é a mais feliz porque está sempre feliz, para ela não há problemas”, adiantou.

Da felicidade da Maria e da sua determinação em superar dificuldades, surge então o blogue, ativo desde 17 de junho, como forma de comunicar o valor da inclusão, tendo por inspiração o dia-a-dia da Maria, contando como é que ela vive, quem são os seus amigos, colegas, a escola que frequenta.

“Para puxar o tema da inclusão social para a ordem do dia, mas desmistificar completamente porque eu acho que uma criança deficiente em Portugal é considerada doente e não é”, justificou Ana Rebelo, acrescentando que pretende também que as pessoas que visitam o blogue percebam a diferença entre inclusão e integração.

Entretanto, desenvolveu uma campanha, que se chama “Ativar a Inclusão” e está disponível tanto no blogue como na rede social Facebook (A mãe da Maria), através da criação de seis pequenos vídeos que pretendem passar uma ideia muito simples: “Todos somos diferentes, todos somos iguais”.

“Esta campanha está a ter algum sucesso e está com uma energia muito positiva e está a conseguir chamar a atenção das pessoas para este tema”, disse Ana Rebelo, apontando que, só num mês, a página de Facebook tem já mais de 6.300 seguidores.

A par e passo, tenta viver o dia-a-dia como a filha Maria, ao segundo, ao mesmo tempo que lida com a preocupação do futuro e do dia em que ela e o marido não estejam presentes para cuidar da filha.

“Isto acontece porque a sociedade não está minimamente preparada e não há soluções para miúdos mais crescidos a não ser institucionalizá-los e isso é uma coisa que não faz muito sentido”, rematou.