O incêndio e explosão de gás numa habitação em Viseu que este sábado feriram com gravidade duas crianças, que estão internadas no Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC), deixou desalojada a família - um casal e os dois filhos vitimados.

A casa, situada na localidade de Boaldeia, no concelho de Viseu, «ficou sem condições de habitabilidade», disse à agência Lusa Celestino Pina, dos Bombeiros Municipais desta cidade, adiantando que a família ali residente é constituída pelas duas crianças feridas, de 18 meses e 11 anos de idade, e pelos seus pais.

As crianças, que foram transportadas de helicóptero para o HPC, têm «prognóstico reservado», revelou fonte do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), no qual está integrado aquele estabelecimento.

A criança de 18 meses de idade ficou com «cerca de 30 por cento da superfície corporal queimada (face, cabeça, membros superiores e inferiores)» e está «ventilada e sedada», informou, pelas 16:00 deste sábado, o gabinete de comunicação do CHUC.

A outra criança, de 11 anos de idade, tem «cerca de 15/20 por cento da superfície corporal queimada (membros superiores, inferiores e face)» e está «sedada».

A mãe das crianças «ficou em estado de choque» e foi socorrida no Hospital de São Teotónio, em Viseu, mas «já teve alta médica», adiantou a fonte dos Bombeiros Municipais de Viseu (BMV).

A mãe das duas crianças será realojada, tal como o marido (que não estaria em casa quando o fogo deflagrou), por familiares, acrescentou.

O incêndio e a explosão de gás, cujo alerta foi dado às 10:32 deste sábado, terão sido provocados por uma fuga de gás, admitiu a mesma fonte dos BMV, sublinhando que o caso ainda está ser investigado.

Quando os bombeiros chegaram ao local, a casa já estava «tomada pelas chamas» e as duas crianças já tinham sido retiradas da habitação unifamiliar por populares, disse Celestino Pina.

O edifício, de dois pisos, foi particularmente atingido no rés-do-chão, que «ficou muito danificado», tanto pelas chamas como pela explosão, que provocou, designadamente, a projeção de janelas, referiu a mesma fonte.

Além dos BMV e do helicóptero da Proteção Civil estacionado em Santa Comba Dão, foram mobilizados para o local meios dos Bombeiros Voluntários de Viseu, do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica), designadamente uma ambulância de suporte imediato de vida, de Tondela, e psicólogos, e da PSP.