Portugal é o sexto melhor país da União Europeia na cobertura nacional de creches para crianças dos zero aos três anos, disse à Lusa a directora de Unidade de Respostas Sociais do Instituto de Segurança Social, noticia a Lusa.

«Todos os países europeus têm falhas nesta área, nós não estamos de todo entre o grupo dos mais atrasados. Só cinco países estão a nossa frente [Dinamarca, Holanda, Suécia e Bélgica]», disse Clara Guterres.

A responsável falava à margem do V Colóquio «Cidadão desde o Berço. Criança, Família e Sociedade», que se realizou esta terça-feira em Lisboa promovido pela Associação de Apoio a Profissionais do Hospital de Santa Maria.

Portugal, adiantou, está próximo até de ultrapassar a meta estabelecida na Carta de Barcelona, que fixou nos 33 por cento a taxa de cobertura mínima das creches nos países da União Europeia até 2010.

Cobertura será de 34,9 por cento

Através dos projectos em curso no âmbito do PARES (Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos), a cobertura das creches em Portugal será de 34,9 por cento até 2010, destacou.

O PARES foi lançado em Março de 2006, tendo como prioridade o reforço da protecção social no combate à pobreza e na protecção da família.

Este programa vai já na terceira edição, sendo desta vez dedicado às áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, num investimento total de 49,2 milhões de euros. A comparticipação pública é de 21,5 milhões de euros destinados à construção de 82 novas creches com 4.414 lugares.

Segundo Clara Guterres, a cobertura de creches em Portugal tem evoluído positivamente quer em termos de número quer em termos técnicos.

A grande preocupação agora, explicou, é investir num forte acompanhamento técnico destes espaços.

«As creches têm de ser qualificadas. Não podemos ter creches assistencialistas», disse.