A autoestrada A25 está cortada em ambos os sentidos, na zona de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, devido ao incêndio que decorre naquela zona.

O corte de trânsito na A25, entre o quilómetro 32 e o 44, foi levado a cabo por volta das 17:00.

"O trânsito está cortado no nó do Reigoso, no sentido Viseu-Aveiro, e no nó de Albergaria, no sentido Aveiro - Viseu", disse à agência Lusa fonte do comando-geral da GNR, acrescentando que a alternativa é a Estrada Nacional 333.

Encontram-se igualmente cortadas as estradas nacionais 328 (Sever do Vouga) e 230 (Águeda).

O distrito de Aveiro tem sido fustigado pelas chamas desde o passado sábado, contabilizando neste momento, quatro incêndios na lista das "ocorrências importantes" (com duração superior a três horas e com mais de 15 meios de proteção e socorro envolvidos).

Segundo a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil, atualizada às 19:00, mais de 1.100 operacionais com a ajuda de 365 viaturas e 14 meios aéreos, combatiam os fogos em Arouca, Águeda, Albergaria-a-Velha e Anadia.

Já hoje, o Ministério da Administração Interna informou que o Governo alugou um avião pesado Canadair durante três dias - sexta-feira, sábado e domingo - para ajudar no combate aos incêndios que lavram no distrito de Aveiro.

A caminho do distrito de Aveiro estão ainda 11 pelotões do exército, com 232 homens, para fazer vigilância e consolidar o rescaldo.

A autoestrada A25 já esteve cortada nesta sexta-feira, cerca das 16:30, mas no sentido Aveiro/Viseu, no Nó das Talhadas, tendo reaberto por volta das 17:30.

O repórter da TVI no local, João Bizarro, testemunhou, então, o avançar das chamas e falou com um condutor que arriscou a própria segurança e que disse que nunca tinha tido tanto medo na vida, como quando passou pelo túnel de fumo.

Temi bastante pela vida. As chamas eram muito grandes, muito altas e com temperaturas muito altas. Não havia sinalização, quando eu passei. Mas ou passava ou tinha de voltar para trás. Ainda estou um bocado a tremer."

Esta semana, o trânsito já este bloqueado na mesma autoestrada precisamente por causa da ameaça das chamas. 

Os incêndios já queimaram mais de 90.000 hectares este ano.