Portugal surge em 12.º lugar, à frente de muitos outros países europeus, como a Dinamarca (15.º lugar), a Bélgica (23.º), o Reino Unido (28.º), a França (29.º) ou a Espanha (45.º lugar).







De acordo com um comunicado de hoje do ministério português da Justiça, sobre o relatório, para o resultado “foi absolutamente decisivo o desempenho” da Unidade de Informação Financeira da Polícia Judiciária e a ação do Núcleo de Branqueamento do Banco de Portugal.