A Polícia Judiciária de Braga confirmou esta quarta-feira oficialmente que o corpo encontrado a 11 de janeiro passado numa freguesia daquela cidade é de uma jovem brasileira desaparecida desde outubro, disse a mãe da vítima à agência Lusa.

Segundo Alessandra Maldonado, a confirmação da «pior notícia possível» foi feita ao final da tarde pela PJ de Braga.

A mãe vai na quinta-feira ao Instituto de Medicina Legal de Braga «reconhecer o corpo», seguindo depois o cadáver para o Porto, para ser cremado.

Antes de o levar para o Brasil, ainda haverá uma missa em Braga, em local e data a definir.

A 11 de janeiro, foi encontrado o corpo de uma mulher, atado de pés e mãos e parcialmente queimado, no forno de uma antiga serração em Santa Lucrécia de Algeriz, em Braga.

Desde logo a polícia começou a trabalhar a tese de se tratar de Mayara Maldonado, uma jovem brasileira de 20 anos, que estudava em Braga e que estava dada como desaparecida desde 11 de outubro de 2013.

O corpo apareceu «a 800 metros» da casa do ex-namorado da vítima.

A mãe há muito que «estava desenganada», já que reconhecera o vestuário da filha que não tinha ficado queimado.

A jovem tinha vindo para Portugal com a mãe e com o padrasto e andava a estudar na Escola Profissional de Braga.

Em 2011, os progenitores regressaram ao Brasil, alegadamente por o homem não ter conseguido autorização de permanência em Portugal, mas Mayara ficou, para prosseguir os estudos.

Entretanto, a jovem começou também a trabalhar num bar de alterne, em Famalicão.

A Polícia Judiciária está a investigar o crime, noticia o crime.