Cerca de 30 elementos do Corpo de Intervenção da PSP do Porto recusaram, este domingo, entrar no estádio Dom Afonso Henriques para fazer policiamento de visibilidade no jogo entre o Vitória de Guimarães e o FC Porto.

De acordo com indicação dada à agência Lusa por fonte policial, a recusa foi uma forma de protesto, tendo os elementos do corpo de intervenção apenas acompanhado os adeptos do FC Porto entre os autocarros e a entrada do estádio.

A fonte disse ainda que os polícias só entrariam no estádio caso “haja necessidade de intervir para manter a ordem pública”.

Dentro do estádio estiveram outros elementos das equipas de intervenção rápida da PSP, aqueles que recebem gratificados – horas extra pagas, neste caso, pelo clube anfitrião - para fazer este tipo de trabalho.

Na sexta-feira, a Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP) avisou que os elementos do corpo de intervenção e das equipas de intervenção rápida iriam realizar várias ações de protesto no início do campeonato.

Em causa está o não-pagamento dos gratificados para estes profissionais.

A ASPP tem alertado o Governo para a necessidade de rever os modelos de policiamento de futebol profissional, considerando que os clubes devem pagar este trabalho feito pelos polícias.

O jogo entre o V. Guimarães e o FC Porto teve início hoje às 20:30, devendo terminar por volta das 22:00.