O escritor Miguel Sousa Tavares e a editora Clube do Autor apresentaram, no Ministério Público, uma queixa contra a ativista Margarida Martins «por incentivo à reprodução ilegal de alguns dos livros do referido escritor», foi esta quinta-feira divulgado.

«O escritor Miguel Sousa Tavares e a editora Clube do Autor apresentaram recentemente uma queixa-crime contra Margarida Martins, ex-presidente da Abraço e atual presidente da Junta de Freguesia de Arroios, por incentivo à reprodução ilegal de alguns dos livros do referido escritor», afirma a editora em comunicado enviado à Lusa.

Segundo o mesmo comunicado, Margarida Martins enviou um e-mail em que afirma «porque a vingança por vezes é precisa!», ao qual anexou, em formato PDF, os romances «Equador» e «Rio das Flores», de Sousa Tavares, e ainda «Não te deixarei morrer David Crockett», coletânea de pequenas ficções do mesmo autor.

Para a editora e para Sousa Tavares, ao divulgar este e-mail, «Margarida Martins comete o crime de usurpação dos direitos do referido autor». «Além de distribuir gratuitamente as obras de Miguel Sousa Tavares, ideia que reforça no conteúdo do e-mail ¿Oferta - 3 livros de Miguel Sousa Tavares ¿ Oferta¿, Margarida Martins incita ainda a que os destinatários do email façam o mesmo», afirma a Clube do Autor.

«Para o escritor e para a sua editora, Margarida Martins teve como objetivo claro o de lesar os interesses patrimoniais destes, razão pela qual foi apresentada a queixa-crime», remata a editora.

Miguel Sousa Tavares é um dos sócios da empresa Clube de Autor, na qual edita desde a sua saída do grupo LeYa.

A agência Lusa tentou contactar Margarida Martins, figura que se distinguiu no Frágil, um dos primeiros projetos do Bairro Alto, nos anos de 1980/90, mas ainda não obteve qualquer resposta.