As listas de colocação de professores no concurso nacional que se realiza de quatro em quatro anos serão publicadas na segunda-feira pela Direção-Geral da Administração Escolar, disse esta sexta-feira à agência Lusa fonte do Ministério da Educação.

Os dados relativos ao concurso geral (interno/externo) serão divulgados de manhã, na página de Internet da Direção-Geral, de acordo com a mesma fonte.

Concorrem profissionais do continente e das ilhas. Para muitos docentes esta é a oportunidade para tentar mudar de escola, agrupamento, região e até de disciplina a ministrar. Para outros é a hipótese de ficar colocado numa escola.

Com o objetivo de ajustar o número de professores às necessidades dos alunos, foi pedido aos órgãos de gestão das escolas que fizessem uma avaliação dos quadros numa perspetiva de futuro.

Nas escolas com necessidade de mais professores, a direção abriu «vagas positivas». Nos casos em que considerou que era possível funcionar com menos docentes, foram abertas «vagas negativas», o que significa que, com a saída de um professor, não é colocado outro no seu lugar.

De acordo com uma contabilização realizada pelo Ministério da Educação e Ciência, este ano vão abrir 618 vagas positivas e 12.003 vagas negativas. Alguns destes docentes não estão a dar aulas nas escolas, porque foram requisitados por serviços do Ministério da Educação.

É na educação pré-escolar e no 1.º Ciclo do ensino básico que se regista o maior número de «vagas negativas». No pré-escolar há 386 vagas que não voltarão a ser preenchidas e serão abertas apenas 20 «vagas positivas».

Nas escolas do 1.º Ciclo há outros 1.566 professores que não serão substituídos quando abandonarem o estabelecimento de ensino. As novas vagas são apenas 345, segundo os quadros divulgados em anexo à portaria.