O surto de legionella que já provocou quatro mortes em Portugal, todos da zona de Vila Franca de Xira, durante o fim de semana, está a provocar alarme nas populações. «Claro que há razões» para alarme, reconhece Luís Carreiro, diretor do Serviço de pneumologia do hospital Pulido Valente, na TVI.

«É uma doença importante, grave, que não se sabendo ainda a origem da fonte infeciosa, cria algum alarme, alguma intranquilidade na população» e que atinge a população a partir dos 50 anos principalmente, manifestando-se pouco nas crianças.

No entanto, o médico desmistifica: «Podem continuar a beber água» da torneira» e explica as condições que a bactéria precisa para se desenvolver: «a temperatura e o fluxo com pressão que provoca partículas que são inaladas e provocam a doença, é evidente que poderá ser importante, sobretudo em chuveiros que não são utilizados regularmente», já que a «estagnação da água é outro fator fundamental». Por isso, recomenda «desinfetar com lixívia e aumentar a temperatura, porque «entre os 70 e os 75 graus a bactéria morre rapidamente». Assim, aconselha as pessoas a «Saírem da casa de banho durante dez minutos e deixar a água a correr».

Por outro lado, o especialista em doenças respiratórias também descarta a necessidade do uso de máscaras de proteção. «Se soubéssemos o foco» talvez, mas «não faz sentido usar máscaras porque a doença não é transmitida pessoa a pessoa», nem faz sentido usar máscara no duche».

Luís Carreiro chama também a atenção para os grupos de risco. «O fator etário é muito importante porque acima dos 50 anos é a idade onde aparecem mais casos», refere. «Há poucos casos em crianças para não alarmar as mães». «É muito raro atingir crianças» e quando atinge são crianças com outras patologias.

Independentemente da idade, «há doenças subjacentes, doenças crónicas, que potenciam o aparecimento e a gravidade da doença».

A população de Vila Franca de Xira regressa esta segunda-feira às rotinas de trabalho e escola, após o fim de semana, e este é o assunto que domina as conversas. A TVI visitou um café sem clientes, apesar das autoridades avisarem que o contágio não acontece pela ingestão de água.

Nas escolas, as aulas retomam, mas a disciplina de educação física está cancelada e os balneários encerrados por precaução.

No concelho de Vila Franca de Xira, muitos dos bairros são dormitórios de trabalhadores da capital que esta segunda-feira, de carro ou transportes públicos, rumam a Lisboa