A Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) desafiou, este sábado, num encontro em Cascais, o ministro da Educação, Nuno Crato, a impedir uma «redução do orçamento» para o setor.

Na intervenção durante o 39.º Encontro Nacional das Associações de Pais, o presidente da Confap, Jorge Ascensão, dirigiu-se ao ministro, que encerrou o evento, para garantir: «Estaremos consigo numa luta contra a redução do Orçamento do Estado».

«Não conseguimos perceber que possa continuar a haver cortes na educação», disse aos jornalistas, no final do encontro.

«Faltam muitos recursos para uma educação global e inclusiva», justificou, assumindo que as famílias têm uma «quota-parte de responsabilidade».

A Confap continua a receber «reclamações», embora em número menor, sobre as complicações do início do ano letivo. «Não está tudo resolvido, provavelmente nunca estará tudo, mas (…) os problemas estão praticamente resolvidos», referiu Jorge Ascensão.

Sublinhando que «cada caso é um caso», a Confap pede ao Ministério da Educação «que facilite às escolas os meios que elas necessitam» para «recuperar todo o atraso que aconteceu neste início de ano letivo».

O plano de recuperação «é urgente, mas deve ser faseado», defendeu Jorge Ascensão, alertando que não se pode, «de uma assentada e por atacado, fazer toda a recuperação deste mês e meio, praticamente, sem atividade letiva, poderá ser necessário estendê-lo ao longo do ano».

No mesmo encontro, o presidente da Federação de Associações de Pais de Cascais, David Valente, sublinhou que persistem «enormes dificuldades» nas escolas e defendeu uma maior descentralização de competências.

«Este ano letivo de longe se iniciou da forma que desejávamos», avaliou, recordando que «os pais têm propostas muito concretas» e fazem «parte da solução».