Um homem que tentou matar dois funcionários e uma cliente de uma discoteca no Porto, em 2014, após de lá ter sido expulso, foi condenado a cinco anos de prisão efetiva, adiantou hoje a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

Na madrugada de 26 de fevereiro de 2014, o arguido, depois de ter sido expulso da discoteca pelos funcionários que aí exerciam vigilância e segurança, decidiu mata-los, frisou.

"Para tal, muniu-se de uma espingarda caçadeira semiautomática e, regressado às imediações da discoteca, cerca de meia hora depois da expulsão, efetuou três disparos na direção daqueles funcionários e das pessoas que junto deles se encontravam", lê-se na nota da procuradoria.

Os disparos atingiram três pessoas - dois funcionários e uma cliente - que só não faleceram por "razões alheias à vontade do arguido", realçou.

A Procuradoria salientou que o tribunal não suspendeu a pena aplicada ao arguido por já ter condenações, por insistir em cometer crimes graves e não estar enquadrado profissionalmente, havendo necessidade de prevenção geral.