Pelo menos um português assistia ao concerto country em Las Vegas, no momento em que Stephen Paddock, o autor do massacre, decidiu atirar sobre a multidão a partir da janela do quarto de hotel onde se encontrava.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, informou à Lusa que o cidadão português - cuja identidade não foi revelada - sobreviveu e está bem de saúde.

O departamento de Estado [norte-americano] contactou todas as missões afetadas e a nossa missão felizmente não foi contactada. Um português com quem contactámos, que assistiu ao concerto, encontra-se bem”.

Não há, até ao momento, portugueses entre as vítimas mortais do ataque. “Recebemos a informação das autoridades policiais de Las Vegas ontem [segunda-feira] à noite de que não há portugueses no conjunto de feridos e vítimas mortais deste acontecimento tão grave e tão lamentável”.

Apesar deste primeiro balanço, José Luís Carneiro sublinhou que estes números são sempre provisórios. Até porque as autoridades norte-americanas ainda não conseguiram identificar todas as pessoas.

Contudo, continuamos a acompanhar a situação para verificar o decurso das diligências da polícia para saber com certeza se há algum cidadão português envolvido".

Pelo menos 59 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas, neste que foi o tiroteio mais mortífero da História moderna dos Estados Unidos da América. Ninguém sabe o que levou aquele homem a disparar sobre a multidão que simplesmente se divertia num concerto de música country. Há pistas a seguir, mas ainda poucas conclusões.