A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois homens que utilizavam dados de cartões bancários de terceiros para aquisição de bens e serviços, através do comércio eletrónico, tendo, desta forma, obtido benefícios patrimoniais ilegítimos de várias dezenas de milhar de euros.

Os detidos, de nacionalidade estrangeira, de 27 e 40 anos, foram levados a interrogatório judicial por burla informática e associação criminosa, tendo o tribunal decretado a sua liberdade provisória, com as medidas de coação de apresentações às autoridades e proibição de contactos.

No decurso da operação, que ocorreu na zona da Grande Lisboa, foram efetuadas várias buscas, domiciliárias e não domiciliárias, e apreendido diverso material relacionado com a atividade criminosa.

A investigação esteve a cargo da Unidade de Combate à Corrupção da PJ.