A Refer informou, esta sexta-feira, ter registado no ano passado 27 acidentes em passagens de nível, dos quais resultaram dez vítimas mortais, mais duas do que em 2012.

De acordo com um comunicado da Refer ¿ Rede Ferroviária Nacional, os acidentes em causa em 2013 foram 24 colisões e três «colhidas».

Comparando com os dados da empresa relativos a 2012, constata-se que ocorreram no ano passado mais duas mortes e dois acidentes. Em 2012, os oito acidentes mortais representaram o dobro dos registados em 2011.

Em relação a dados de 1999, a empresa indica que há uma descida de 83% na sinistralidade e de 62% nas vítimas mortais. Nesse ano foram registados 154 acidentes, que originaram 26 mortos.

Dos 27 acidentes que ocorreram em 2013, quase 50% foram em passagens de nível com proteção ativa, «o que denota, por um lado, um claro desrespeito pela sinalização em presença e, por outro, que a eficácia que advém da introdução de medidas de reforço da segurança depende sobretudo do comportamento e corresponsabilização dos cidadãos», indica a Refer.

Além do impacto humano e económico, a empresa refere que estes acidentes penalizaram no ano passado 360 comboios, que acumularam, no total, 8.192 minutos de atraso.

No documento, a Refer explica ainda que, «pela primeira vez, os atravessamentos com proteção ativa superam em número os que dispõem apenas de proteção passiva».

Do total das 870 passagens de nível existentes, 436 dispõem hoje de proteção ativa, conseguida através do guarnecimento humano ou por existência de sinalização automática ¿ barreiras, sinalização sonora e luminosa.

A Refer conseguiu também reduzir o número de passagens de nível nos últimos anos, existindo hoje menos 65% do que em 1999, quando existiam 2.494.

O investimento maior da empresa nesta área foi em 2003, com um gasto de cerca de 70,2 milhões de euros. No total, a REFER investiu mais de 345 milhões de euros em passagens de nível desde 1999.

«O sucesso desta estratégia é visível, tendo sido alcançada já em 2011 a meta que havia sido estabelecida para 2015: menos de 29 acidentes, objetivo para o qual também contribuiriam as ações de mitigação do risco e campanhas de sensibilização entretanto desenvolvidas», afirma a Refer no comunicado.