Os dois suspeitos que foram detidos após a perseguição policial na qual morreram dois agentes já tinham antecedentes criminais, inclusive uma fuga.

Segundo o comandante da PSP Jorge Maurício, que leu um comunicado na sede do Comando Metropolitano de Lisboa, os dois homens foram detidos «num canavial», «junto à linha» do comboio.
 

«Têm vários antecedentes criminais, inclusive uma anterior fuga à PSP».


Segundo um comunicado divulgado posteriormente pelo Cometlis, os detidos têm 17 e 20 anos e estavam já referenciados por roubo e furto. Os jovens vão ser ouvidos em primeiro interrogatório na quinta-feira, às 10:00, no Tribunal da Comarca de Lisboa Norte.

Jorge Maurício leu o comunicado com alguma emoção, lamentando «profundamente» a «tragédia» ocorrida ao final da manhã, na qual dois agentes «perderam a vida a exercer as suas funções».

De acordo com o comandante, a PSP foi chamada às 11:30 devido a um assalto a uma residência na Bobadela e «várias equipas» foram deslocadas para o local.

Durante a perseguição, os dois polícias foram para «as imediações da linha de comboio, por haver notícia que se encontrava aí pelo menos um dos assaltantes».

À passagem do comboio, os dois homens, de 24 e 27 anos, foram colhidos mortalmente.

«Assola-nos um sentimento de profundo pesar. Os nossos pensamentos e orações estão com a família policial, mas sobretudo com as famílias dos nossos camaradas que perderam a vida».