A Proteção Civil respondeu esta quinta-feira, no briefing diário, às críticas de que tem sido alvo sobre a organização dos meios no terreno. 

Tanto dos bombeiros como os autarcas tem atacado a estrutura, sobretudo pela a falta de experiência de comando e a falta de profissionais no primeiro ataque ao fogo.

Patricia Gaspar, adjunta do comando nacional da Proteção Civil, afirmou que a Proteção Civil tem "total confiança em todo o dispositivo que está no terreno", desde os bombeiros aos militares, passando também pelas forças policiais.

"O dispositivo tem sido inexcedível no teatro de operações e é isso que tem permitido dominar as ocorrências que vão aparecendo", disse a adjunta de operações da Proteção Civil, sublinha do que na quarta-feira foram registadas mais de 140 ocorrências e que a maior parte foi apagada.

"Este é o momento de combate. É essa a nossa prioridade", acrescentou.