A Federação Nacional dos Professores entrega hoje uma queixa-crime no Ministério Público por alegada utilização abusiva de dinheiros públicos no financiamento de colégios privados no âmbito dos contratos de associação do Estado com escolas privadas.

Representantes do maior sindicado de professsores do país, a Fenprof, vão reunir-se hoje ao início da tarde com a procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, a quem pretendem entregar uma queixa-crime contra situações que consideram que estão a beneficiar as escolas privadas e a prejudicar as públicas.

Em conferência de imprensa realizada em Lisboa em novembro do ano passado, o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, disse existirem casos no país que podem configurar crime de peculato, abuso de confiança e utilização indevida de dinheiros públicos.

Segundo a Fenprof, «há situações de benefício» das escolas privadas, com «a entrega elevada de verbas» por parte do Estado, quando a rede pública, «com capacidade para receber alunos», não está a ser utilizada.