Duas mulheres ficaram em prisão preventiva por suspeita do crime de estupefacientes em Coimbra, anunciou esta segunda-feira a Polícia Judiciária, que deteve as duas arguidas, juntamente com um homem, que ficou obrigado a apresentações periódicas às autoridades.

De acordo com a Lusa, o trio foi detido pela diretoria do Centro, no âmbito de uma investigação que visa combater o tráfico de estupefacientes em locais onde afluem grande quantidade de toxicodependentes, "com a finalidade de adquirirem drogas duras, designadamente "crack" (cocaína solidificada em cristais) e heroína".

Em comunicado, a PJ adianta que os suspeitos foram surpreendidos na posse de 140 doses individuais de "crack" e 28 de heroína, após terem abastecido alguns dos seus "clientes".

"No desenrolar das diligências que se seguiram às detenções foram ainda encontrados e apreendidos em seu poder cerca de 11.400 euros em numerário, uma arma branca (navalha de borboleta) e diverso equipamento informático, de som e imagem, que se suspeita possa ser proveniente de outros ilícitos contra o património e recebidos em troca de estupefacientes", lê-se no documento.

Os detidos, com 57, 31 e 20 anos, foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo as duas mulheres ficado sujeitas a prisão preventiva e o homem sujeito à obrigação de se apresentar duas vezes por semana às autoridades.