Um homem de 43 anos, residente em Oliveira do Hospital, fez o parto à mulher no nascimento da filha, dentro do carro que conduzia em direção à maternidade, em Coimbra, contou o próprio à agência Lusa.

A bebé não esperou pela chegada à maternidade Daniel de Matos e nasceu no IC2, cerca de uma dezena de quilómetros a norte da cidade.

Pedro Sales, que transportava a mulher grávida no banco traseiro da viatura, apercebeu-se do nascimento iminente da criança, parou o carro na berma, debaixo de um viaduto, e ajudou ao nascimento da menina, que esteve para ser Juliana, mas foi rebatizada Petra, em homenagem ao pai.

Na segunda-feira, a mulher, Sílvia Santos, esteve na maternidade de manhã. Os médicos fizeram um registo das contrações, «minuto a minuto». No entanto, «como o útero estava duro, por opção médica», o casal regressou a casa, a cerca de 70 quilómetros de Coimbra.

Pelas 18:00, como a mulher apresentava dores das contrações «para ter a criança», Pedro decidiu voltar a fazer a viagem para Coimbra.

«A certa altura, as contrações eram maiores, rebentaram as águas e ela sentiu que o couro cabeludo da menina estava já a sair. E eu tive de parar o carro e fazer o parto, no meio da estrada», contou o pai da bebé, assumindo que nunca tinha feito «nada do género».

«Fiz o parto, bati como se deve fazer para ela chorar, vi que ela chorou, pu-la em cima da mãe, cobri-a e fui para a maternidade», adiantou Pedro Sales, artista plástico residente em Travanca de Lagos, Oliveira do Hospital.

Chegado à porta da unidade de saúde, avisou o segurança que a criança tinha nascido no carro. Entrou e ao chegar às urgências «já estavam os médicos e os enfermeiros cá fora e cortaram o cordão umbilical ainda no carro», disse, momento que o pai da criança acabou por registar em vídeo.

«A situação foi tão inesperada que ocorreu-me registá-la. Felizmente correu tudo bem», acrescentou.

A criança acabou por nascer no dia de aniversário de Sílvia Santos, engenheira civil que completou 35 anos. A bebé, que estava para se chamar Juliana, foi rebatizada Petra: «Achámos que era mais adequado, é o feminino de Pedro e tem a ver com pessoa firme e resistente, tem a ver com rocha».

Petra é a quinta filha de Pedro Sales e vem juntar-se a Pilar, irmã com um ano de idade, Bruno e Pedro, de 12 anos, e João, com 13.

«Somos muitos, é uma família completa», explicou Pedro Sales, que vive numa quinta na aldeia, nos arredores de Oliveira do Hospital.

A criança e a mãe estão bem de saúde, permanecem na maternidade Daniel de Matos de onde deverão ter alta ao final da manhã desta quinta-feira.